eduardo nassar recomenda leitura:

Medições translucência nucal: distribuição de freqüência e as mudanças com a gestação em uma população geral.


Para investigar a variação da translucência nucal com comprimento cabeça-nádega (CCN) no primeiro trimestre em fetos normais.
Um estudo observacional prospectivo.
Departamento de obstetrícia de um hospital universitário de Londres.
Mil setecentos e sete mulheres grávidas (1685 singleton e 22 gestações gemelares) com fetos cromossomicamente normais entre 9 + zero e 14 +6 semanas de gestação foram recrutados seqüencialmente de uma clínica de exame de datação. Translucência nucal foi medida em 94,9% por ultra-sonografia transabdominal (TAS) e pela ultra-sonografia transvaginal (TVS) se dificuldade foi encontrado com TAS (5,1%). Medida da translucência nucal foi repetida em 136 fetos: o primeiro exame entre entre 9 + zero-11 +6 semanas eo segundo mais de 12 semanas de gestação.
Desta população em geral, 4,2% tinham uma medida da translucência nucal medida (NT)> ou = 2,5 mm, mas esta proporção variou significativamente entre os grupos de idade gestacional (P = 0,011). Os coeficientes de repetibilidade das medições NT foram 0,44 milímetros e 0,23 mm para TAS e TVS, respectivamente. Os dados transversais demonstram um aumento da medida da translucência nucal entre 9 e 12 semanas de gestação e, em seguida, uma diminuição em 13-14 semanas. Essa relação é melhor modelada usando a equação quadrática: log10 (NT) = -1,03 + (0,0314 x CRL) - (2,20 x 10 (-4) x CRL2). Os dados longitudinais confirmou um aumento de medições translucência nucal com gestação crescente.
Medições translucência nucal aumentar significativamente com a idade gestacional crescente. A utilização de uma única medição translucidez limiar da nuca durante o primeiro trimestre é inapropriada. Propomos intervalos de referência de medidas de translucência nucal com a idade gestacional, visando melhorar o desempenho do rastreio da translucência nucal de anormalidades cromossômicas.


Referencias

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/8968236